Real Móveis

Os despachantes credenciados ao Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) poderão finalizar processos de primeiro emplacamento e, assim, agilizar o atendimento aos usuários. O projeto que está em fase de testes diminui etapas e reduz o tempo de entrega dos documentos. 

“Essa mudança só é possível graças ao trabalho conjunto que temos realizado junto com os empresários. Os despachantes fazem quase 80% dos processos de veículos abertos no Estado, mas toda finalização é feita no Detran. Nossa intenção é facilitar esse trabalho e usar sistemas digitais para melhorar esta integração”, explica o diretor-geral do Detran, Marcos Traad. 

Hoje, para fazer o primeiro emplacamento de um veículo é preciso que o despachante faça a vistoria, emita o processo, receba a confirmação do pagamento das taxas, entregue a documentação ao Detran, aguarde a finalização para, então, retirar o documento pronto na unidade do Departamento. 

Com a alteração, o despachante fará a vistoria e emitirá o processo. Com as guias pagas, ele mesmo finaliza e, assim, poderá entregar os pedidos em lotes no Detran e retirar o documento pronto no dia seguinte. “O Detran continua fazendo toda a verificação e as auditorias, comparando o que chega pelo sistema digital e em papel. A segurança para o usuário será a mesma”, completa Traad. 

Os testes já acontecem e todos os delegados regionais do Sindicato dos Despachantes do Estado participaram de treinamento. “Faremos o curso pelo sistema de videoconferência do Detran e a intenção é receber as críticas e sugestões para fazermos os ajustes necessários e oferecer um serviço de qualidade, com ainda mais eficiência”, conta o presidente do Sindicato dos Despachantes do Estado do Paraná, Everton Calamucci. 

Quem já usou o novo sistema, aprovou. “Durante o período de testes percebemos o quanto essa nova opção irá facilitar o nosso dia a dia. O nosso trabalho é mais ágil e melhora muito para o cliente. Eu entreguei processos no Detran às 16h30 e no dia seguinte, às 9h, estava com o documento em mãos”, conta o Hélcio José De Góis.



Agência Estadual
19/06/2017